Fundos de Ouro

O ouro, por ser um ativo físico e lastro de reservas monetárias de muitos países do mundo, é considerado um dos ativos mais seguros entre todos os existentes.

 

Especialmente em cenários de crise e instabilidade financeira, é um dos ativos mais procurados por simbolizar segurança. Não é coincidência que, durante a crise de 2008, o ouro teve uma forte valorização.

Por isso, para os investidores que querem se proteger de incerteza, os fundos de ouro são uma boa alternativa. Por um lado, oferecem praticidade, por não ser necessário adquirir o metal, e por outro são mais certeiros na hora de investir, pela gestão profissional.

 

Custos

Taxa de administração: é cobrada uma para toda aplicação em fundos de investimento. Assim são remunerados os administradores, gestores e cobertos os custos operacionais para a manutenção do fundo.

Taxa de performance: existe normalmente em fundos com gestão ativa, e é cobrada pela rentabilidade adicional a um patamar previamente estabelecido.

Taxa de saída: cobrada caso o investidor resolva efetuar o resgate em um prazo inferior ao resgate previsto do fundo, se constar no regulamento.

 

Tributação

A cobrança de Imposto de Renda para fundos de investimento depende do prazo do investimento, sendo de curto ou longo prazo:

Fundos de Curto Prazo

São considerados de curto prazo aqueles cujo prazo médio seja igual ou inferior a 365 dias.

Fundos de Longo Prazo

São aqueles cujo prazo médio seja superior a 365 dias.

 

Come-cotas

O recolhimento do Imposto de Renda é feito semestralmente, no último dia útil dos meses de maio e novembro. Ele é calculado em cima do rendimento obtido em cada período, e é cobrado através de uma diminuição no número de cotas, equivalente ao valor financeiro do imposto. Por esse motívo, ele é chamado de “come-cotas”.

Na cobrança do come-cotas, o valor da alíquota utilizado é a menor de cada tabela correspondente (se for de curto prazo, 20%; longo prazo, 15%). E, no resgate, é retido o valor restante do período equivalente na tabela.

 

IOF

O Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) incide sobre operações com resgate inferior a 30 dias.

 

Como investir?

É bem fácil e rápido. O processo de abertura de conta leva apenas alguns minutos.

Para saber mais ou tirar quaisquer dúvidas, entre em contato com um dos nossos planejadores financeiros.

Converse com um especialista

5 Opções de investimentos em renda variável para conhecer

5 Opções de investimentos em renda variável para conhecer   Os investimentos em renda variável costumam atrair a atenção de investidores que almejam aumentar suas chances de maiores rendimentos na comparação coma rentabilidade oferecida pela renda fixa. Contudo, ainda são muitas as pessoas que desconhecem as oportunidades disponíveis na renda variável. Neste artigo você acompanhará

Fundos de investimento: você sabe como funcionam?

Fundos de investimento: você sabe como funcionam? Se você deseja investir no mercado financeiro, já deve ter ouvido falar sobre os fundos de investimento. Contudo, talvez não saiba como eles funcionam e não conheça os principais tipos de fundos disponíveis para o investidor brasileiro. Essa modalidade de investimento atrai a atenção pelas características e facilidades

Fundos Imobiliários: quando vale a pena investir?

Fundos Imobiliários: quando vale a pena investir? Muitos investidores iniciantes e aqueles que utilizam modalidades de investimento para aportas dinheiro se questionam, muitas vezes, se vale a pena investir em fundos imobiliários (FIIs). Afinal, apesar de serem conhecidos por muitos, os FIIs podem gerar dúvidas – especialmente quanto às suas características. De fato, investir em

WhatsApp chat