Fundos de Renda Fixa

São fundos que devem ter uma porcentagem mínima do patrimônio em títulos de renda fixa, público ou privados.

 

Dependendo dos ativos e de sua política de risco, têm algumas classificações:

Simples: deve aplicar no mínimo 95% do patrimônio em títulos públicos federais, ou privados com o mesmo risco.

Referenciados: seguem a variação de um índice de referência, como o CDI ou índice de inflação. A carteira de ativos é composta por ativos que acompanhem esses índices.

Ativos: buscam superar um índice, e por isso a gestão possui maior liberdade para aumentar a performance.

 

Custos

Taxa de administração: é cobrada uma para toda aplicação em fundos de investimento. Assim são remunerados os administradores, gestores e cobertos os custos operacionais para a manutenção do fundo.

Taxa de performance: existe normalmente em fundos com gestão ativa, e é cobrada pela rentabilidade adicional a um patamar previamente estabelecido.

Taxa de saída: cobrada caso o investidor resolva efetuar o resgate em um prazo inferior ao resgate previsto do fundo, se constar no regulamento.

 

Tributação

A cobrança de Imposto de Renda para fundos de investimento depende do prazo do investimento, sendo de curto ou longo prazo:

Fundos de Curto Prazo

São considerados de curto prazo aqueles cujo prazo médio seja igual ou inferior a 365 dias.

Fundos de Longo Prazo

São aqueles cujo prazo médio seja superior a 365 dias.

 

Come-cotas

O recolhimento do Imposto de Renda é feito semestralmente, no último dia útil dos meses de maio e novembro. Ele é calculado em cima do rendimento obtido em cada período, e é cobrado através de uma diminuição no número de cotas, equivalente ao valor financeiro do imposto. Por esse motívo, ele é chamado de “come-cotas”.

Na cobrança do come-cotas, o valor da alíquota utilizado é a menor de cada tabela correspondente (se for de curto prazo, 20%; longo prazo, 15%). E, no resgate, é retido o valor restante do período equivalente na tabela.

 

IOF

O Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) incide sobre operações com resgate inferior a 30 dias.

 

Como investir?

É bem fácil e rápido. O processo de abertura de conta leva apenas alguns minutos.

Para saber mais ou tirar quaisquer dúvidas, entre em contato com um dos nossos planejadores financeiros.

Converse com um especialista

Fundos de investimento: você sabe como funcionam?

Fundos de investimento: você sabe como funcionam? Se você deseja investir no mercado financeiro, já deve ter ouvido falar sobre os fundos de investimento. Contudo, talvez não saiba como eles funcionam e não conheça os principais tipos de fundos disponíveis para o investidor brasileiro. Essa modalidade de investimento atrai a atenção pelas características e facilidades

Juros baixos: onde investir para ganhar dinheiro?

Juros baixos: onde investir para ganhar dinheiro? Quem é investidor ou estuda o assunto para iniciar seus investimentos certamente já notou a intensidade de discussões sobre a queda dos juros no Brasil. Depois de diversos anos com taxas altas, o país tem reduzido gradativamente seus juros – alcançando um patamar histórico de baixa. Se você

Você sabe o que são e como funcionam as Debêntures?

Você sabe o que são e como funcionam as Debêntures? Títulos do Tesouro, CDBs, LCIs e LCAs são geralmente nomes mais conhecidos entre os ativos de renda fixa. Mas, o que algumas pessoas não sabem é que existe um outro tipo de investimento, também na modalidade de renda fixa, que pode trazer retornos um pouco

LCI e LCA: Saiba mais sobre estes investimentos!

LCI e LCA: Saiba mais sobre estes investimentos! Dos ativos disponíveis no mercado de renda fixa, alguns são mais conhecidos pelos investidores, como os CDBs e os títulos do Tesouro. Mas, com a finalidade de buscar melhores rentabilidades sem abrir mão de segurança, investidores podem compor suas carteiras com uma variedade de outros produtos. Entre

Invista no Fundo Tesouro Selic e pare de perder dinheiro na Poupança!

Invista no Fundo Tesouro Selic e pare de perder dinheiro na Poupança!   Em tempos de baixa de juros, vivemos no Brasil uma situação inédita. O Comitê de Política Monetária do Banco Central – o COPOM -, na sua reunião do dia 06/06/2020, decidiu reduzir a Taxa Selic para 4,25% ao ano. Isto significa que

A Poupança está te deixando mais pobre!

POUPANÇA PASSA A RENDER MENOS QUE 3% AO ANO E DEVE PERDER DA INFLAÇÃO EM 2020   O Copom – Comitê de Política Monetária – baixou mais uma vez a taxa Selic ao menor patamar da história: 4,25% ao ano (06/02/2020), gerando impacto em diversos títulos de Renda Fixa, que mais uma vez perderam atratividade.

WhatsApp chat